7 dicas para impulsionar as vendas de PMEs na Black Friday

Empreendedores devem aproveitar início da temporada de vendas do final do ano para aumentar sua presença digital, ambiente que consumidores mais buscam

A Black Friday, segunda melhor data para o varejo no Brasil, acontece em menos de dois meses e abre uma oportunidade para pequenas e médias empresas impulsionarem suas vendas. De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Google e realizada pela Provokers, 99,5% dos entrevistados conhecem a Black Friday e somente 9% dizem que não pretendem comprar na data em 2018.

O evento – um dos principais do calendário comercial – abre um período repleto de intenções de compra dos consumidores brasileiros, que inclui a chegada do 13º salário, o Natal, o Saldão e o Ano-Novo.

Para a maioria deles, a busca é o ponto de partida: nove entre 10 brasileiros pesquisam na web antes de fazer uma compra, não importa se será feita por meio de um e-commerce ou em uma loja física. Contudo, das mais de 12,4 milhões de PMEs do país, 40% ainda não têm presença on-line e, por isso, perdem a oportunidade de aumentar suas vendas, especialmente em períodos como o da Black Friday. O estudo ouviu 1.500 consumidores on-line, de 18 a 54 anos, das classes A, B e C, de todas as regiões do País, e mostrou que a oportunidade de negócio não se restringe à data.

Confira abaixo sete dicas de especialistas do Google para que as PMEs possam tirar o máximo da temporada de compras iniciada pela Black Friday:

1. Esteja on-line

De acordo com uma pesquisa recente do Google, dois terços dos brasileiros esperam que qualquer negócio esteja presente na web, ainda que 40% deles não estejam. Por conta disso, o primeiro passo é estar on-line. Para resolver isso, basta usar o Google Meu Negócio, uma ferramenta simples e gratuita que permite ao empreendedor criar um site otimizado para smartphones em menos de dez minutos.

O site é criado a partir de informações disponíveis no cadastro do Google Meu Negócio, como nome da empresa, endereço, número de telefone, categoria, horário de funcionamento e fotos. A página adota modelos pré-existentes, que podem ser personalizados pelo empreendedor usando temas, fotos e outras informações relacionadas ao negócio. Não é preciso vender pela internet para usar o Google Meu Negócio e, uma vez que a PME faz seu cadastro, passa a aparecer em destaque na Busca do Google e no Google Maps.

2. Promova o negócio

Em vez de esperar que os consumidores venham até você, é possível encontrar aqueles que possam estar interessados em seus produtos ou serviços com a ajuda do Google. Para isso, não é preciso dominar as ferramentas de publicidade on-line. Com o Smart Campaigns, novo recurso do Google Ads lançado em setembro no Brasil, o Google usa o poder do machine learning (aprendizado de máquina, em português) para otimizar suas campanhas para obter os melhores resultados.

O novo recurso permite configurar uma campanha a partir de três objetivos de negócio: receber mais ligações, mais visitas na loja física ou levar mais pessoas a fazer compras no site. Basta selecionar uma categoria de negócios, a localidade para promover a campanha, editar o texto do anúncio e determinar o orçamento. Então o Google Ads passará a aprimorar a campanha automaticamente.

3. Melhore a experiência mobile

Se você já tem um site adequado para dispositivos móveis, assegure que o tempo que ele leva para carregar seja inferior a cinco segundos. Se você ainda não sabe quanto tempo sua página de web leva para carregar, o primeiro passo é usar a ferramenta Teste Meu Site, que mede o tempo de carregamento.

Se você criou o site de sua empresa por meio do Google Meu Negócio, não precisa se preocupar, já que a ferramenta otimiza o conteúdo para dispositivos móveis e, por usar modelos pré-existentes, não demora para carregar.

4. Ajuste o investimento

Para quem já está on-line e familiarizado com as campanhas digitais, é fundamental planejar o orçamento e as metas para atingir os melhores resultados durante datas sazonais, como a Black Friday. Isso porque as vendas não se concentram apenas no dia do evento, onde ocorre o pico de interesse, mas também em datas anteriores e posteriores ao festival de compras.

Por conta disso, a recomendação é manter as estratégias de campanha durante todo o período, garantindo que o orçamento e o uso de soluções automatizadas, otimizadas para o evento, permaneçam ativas durante todo o período.

5. Fuja dos grandes

Para evitar a concorrência direta com grandes varejistas durante a Black Friday, construa uma lista de clientes potenciais antes da Black Friday. O Google pode ajudar por meio da criação de listas de audiências: basta que você faça o upload da lista de clientes no Google Ads para que seu anúncio seja exibido quando navegarem pela internet.

Ao priorizar suas listas de potenciais clientes quando configurar suas campanhas no Google Ads, você consegue tirar o máximo do seu orçamento previsto para a temporada de compras do fim de ano, iniciada pela Black Friday.

6. Valorize o relacionamento

O cliente conquistado durante a Black Friday é valioso: de acordo com a pesquisa do Google, 78% das pessoas que fizeram compras na data em 2017 voltaram a comprar na mesma loja depois. Para fidelizar esse cliente, porém, é preciso ser relevante. Além de começar a conversar com esse consumidor com antecedência, as ofertas para a data precisam alinhadas com as expectativas e interesses desse cliente.

O grande atrativo da Black Friday para os consumidores é pagar menos pelos produtos: 75% dos entrevistados na pesquisa realizada pela Provokers afirmam que compraram a preços menores ou dentro do que esperavam na Black Friday 2017.

7. Conheça seu público

Se você tem uma loja on-line, frete grátis é um diferencial poderoso, já que 23% das pessoas não compram pela internet para não pagar frete. Para quem tem uma loja física, atrair o consumidor para uma visita pode ajudar a conquistar um público importante que prefere ver os itens pessoalmente antes de comprar.

Conhecer melhor o seu público é fundamental para ter sucesso em períodos em que os consumidores são bombardeados de ofertas. Com a ajuda do Google Analytics, você pode entender melhor quem acessa o seu site com base em informações sobre sexo, idade e interesses, o que permite, por exemplo, definir uma estratégia para atrair os consumidores mais valiosos para o seu negócio.

Fonte: Mundo do Marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *