Se tratássemos de uma pessoa, estaríamos falando de uma adolescente saindo do auge da sua transição da imaturidade para a adaptação a um mundo novo, adulto, e bem mais exigente. Deixaria de ter a proteção e olhar minuciosos dos pais. Assumiria aos poucos algumas responsabilidades. Já saberia lidar melhor com os cabelos e com as suas espinhas, como prova de que os anos anteriores ensinaram um pouco sobre consciência, administração de crises e aceitação. Um pouco.

Só que falamos de uma empresa…

Aqui, falamos da H Mídia. Essa empresa porto-alegrense, que se estabeleceu em um mês de abril, há dezessete anos atrás. Uma ariana na intensidade da busca por projetos e soluções, de forma determinada, inteira e incansável. Um empreendimento que investiu e se determinou em conquistar espaço no mercado de mídia OOH, mesmo conhecendo os desafios do mesmo.

Nada de Engatinhar

O motivo do texto da semana é uma singela homenagem a essa história, da qual tive o privilégio de fazer parte, da cozinha aos Salões da Propaganda. Dos problemas às glórias. Dos momentos de reinvenção, na condição de eternos inconformados, à segurança do que está se fazendo hoje. Que é a exibição comprometida de marcas nos seus mais diversos formatos. Internos e externos, estáticos e dinâmicos, brilhantes e tradicionais. Massa de ver.

Se tratássemos de uma adolescente, estaríamos em um momento difícil da vida. De compreensão e de tomadas de decisão, de uma forma geral. Mas como falamos de uma empresa, infelizmente não gozamos desse privilégio. As adolescentes, que assumem problemas e responsabilidades aos poucos, pouco podem ser comparadas a uma empresa, que de cara, nos seus primeiros dias, precisou caminhar e decidir. Nada de engatinhar.

Se comprometeu com folhas de pagamento e famílias inteiras de colaboradores. Se comprometeu com investimento em enormes estruturas de ferro, sem saber, sinceramente, quanto a receptividade do mercado às suas crenças e estudos de efetividade de cada uma delas. Apostou. Como fazem os empresários brasileiros. Trabalhou muito em manter e inovar suas soluções, como obriga o mercado no qual está inserido. Participou ativamente de discussões pela regulamentação da mídia OOH, em harmonia com a gestão dos municípios nos quais atua e com as comunidades. Suas clientes. Bem tratadas e com suas vias iluminadas e coloridas. Muitas vezes por belas “obras de arte” produzidas por designers e diretores de arte do Brasil inteiro. Acreditou, que há espaço para todos. E assim, trabalhou em conjunto com muitos dos seus pares, em todo o país, buscando fortalecer o segmento.

E agora?

Hoje, tenho o privilégio de atende-los com escritos. Com conteúdo. Já não convivo com lonas, nem com ferros, nem com caminhonetes equipadas e colaboradores bem uniformizados em suas cores preta e amarela. Não vejo com frequência suas equipes, e por isso não é incomum chegar lá para entregar um trabalho e ver caras novas. Novos sorrisos, novas apostas. Acompanho de longe, a assistindo. E registrando na minha memória cada passo dessa vida empresarial. Tentando traduzir em palavras, o esforço de pessoas e do seu líder, na sua luta diária por sobrevivência, por incremento de ideias, por novas soluções, por novas formas de fazer. Os assistindo crescer. Longe de adolescentes. Maduros e ágeis. Dinâmicos, sempre na busca por mudanças que os melhorem.

E então, me alimento aqui. Na minha escrita. E a ela, H Mídia, e a eles, colaboradores, deposito minha fé. De que ainda podemos fazer grandes coisas neste país, mesmo começando do início. Mesmo nascendo pequenos “caminhantes”, logo maratonistas nessa vida que o mercado oferece. Sem pai nem mãe. Órfãos. Feita apenas de construções em meio a quedas e levantares.

Orgulho de vê-la chegar até aqui

Parabéns colaboradores e lideranças. Parabéns pela fé e pelo trabalho que os fizeram completar estes dezessete anos. Se fossem uma adolescente, com certeza teriam os privilégios da inexperiência. Mas ao invés deles, vocês trabalharam a conquistando. Essa experiência tão desejada. E construíram um lindo império de soluções de comunicação. Lindas mídias. Estas nas quais o mercado se deleita. Se enxerga e se gosta.

Que sejam espelho de lindas histórias pela vida. Para a exposição de lindos trabalhos, de belas e fortes marcas. Terei o maior prazer de conta-las aqui, de camarote.

Juliana Silveira é co-founder da Dtail Gestão de Conteúdo e criadora do blog New Families, onde escreve semanalmente com um olhar de sensibilidade única sobre o recomeço da família após o divórcio. É também autora do livro Divórcio: A Construção da Felicidade no Depois.

Juliana Silveira

Author Juliana Silveira

More posts by Juliana Silveira

Leave a Reply