Ele está diferente. Esse tal de comportamento que fala tanto de nós. Esse da gente, que muda a cada dia, e que busquei aprender mais sobre. Para nos ajudar a nos comunicarmos com as pessoas. Para as nossas marcas, a fim de se conectar de forma assertiva e consistente com o seu mercado. De forma atual. Respeitosa. E com valor.

Um novo estudo da empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International revela as principais tendências de consumo que surgem em 2019 e que deverão ditar os próximos anos. As autoras destacam que os consumidores estão ficando mais inteligentes, “especialistas”, e autossuficientes. Além disso, demandam cada vez mais autenticidade e imediatismo. Consumidores em países em desenvolvimento estão reavaliando seus hábitos de consumo, abandonado o materialismo exagerado e buscando simplicidade, autenticidade e individualidade.

Confira as 10 tendências e reflita… elas falam por você?

Pessoas mais velhas querem se sentir e agir como mais novas – e ser tratadas como tal

Surgem os “agnósticos da idade”, aqueles que não acreditam mais que idade ou velhice é sinônimo de “piorar”. Eles não têm uma visão passiva sobre o envelhecimento e cuidam cada vez mais da aparência e da saúde. Se preocupam com inovações tecnológicas, novos apps e novos smartphones.

De volta ao básico: menos é mais

Consumidores tendem, cada vez mais, a rejeitar o genérico, os produtos massificados. A preferência, agora, é dada aos produtos simplificados e focados, com experiências mais simples e autênticas.

Consumo consciente

Consumidores estão cada vez mais conscientes e buscam decisões positivas na maneira de comprar e consumir um produto ou serviço. O “mindfulness” chegou ao consumo. 

Digitalmente unidos

A transformação dos meios digitais e da tecnologia vão continuar a criar novas experiências coletivas e moldar a maneira pela qual consumidores se conectam e colaboram.

Todo mundo é especialista: conhecimento é poder

Em uma era de alta acessibilidade, onde tudo está ao alcance de um botão, consumidores sabem que podem contar com informações instantâneas para decidir suas compras. 

Espaço próprio: o valor de “ficar sozinho”

A valorização do tempo sozinho, do momento “eu”, veio para ficar. Não tem nada de errado em ficar em casa curtindo a própria companhia, longe do e-mail, dos eventos e das redes sociais.

“Deixa que eu faço” – Consumidores podem cuidar deles mesmos

Consumidores estão cortando o “meio de campo”, os profissionais intermediários, e fazendo eles mesmos. Sem consultar um profissional, pessoas resolvem seus próprios problemas com versatilidade. 

Um mundo sem plástico – Consumidores mais atentos ao desperdício

Pela versatilidade, 63% das embalagens de produtos como alimentos, produtos de beleza e produtos para o lar vêm em embalagens plásticas. Mas o uso pelos consumidores será mais consciente, buscando reciclagem, reuso e consumo consciente.

Eu quero agora! – Soluções rápidas e sem problemas

Consumidores estão mais atarefados e desejam serviços e produtos que são entregues rapidamente e da maneira mais simples possível, sem problemas. 

Amando a vida de solteiro

Mais pessoas acima dos 50 anos estão ficando solteiras e aproveitando essa nova vida. Na próxima década, o crescimento no número de lares com solteiros será maior que o crescimento de qualquer outro tipo de lar.

Então, se identificou? Se sim, como eu, vamos reescrever a história. Vamos reconsiderar a nossa comunicação. Recompor. O consumidor mudou e não foi pouco. Nós mudamos. Melhor levar isso em conta! 🙂

Juliana Silveira é co-founder da Dtail Gestão de Conteúdo e criadora do blog New Families, onde escreve semanalmente com um olhar de sensibilidade única sobre o recomeço da família após o divórcio. É também autora do livro Divórcio: A Construção da Felicidade no Depois.

Juliana Silveira

Author Juliana Silveira

More posts by Juliana Silveira

Leave a Reply