Sabemos que de uma forma ou de outra a pandemia do coronavírus tem influenciado direta ou indiretamente nos hábitos e nas decisões de compra das pessoas, sem falar na rotina de vida. Por isso, a cada data comemorativa, como a próxima, no Dia das Crianças, o comportamento do consumidor também se apresenta de forma diferente. A gente não vê a correria nas ruas, aquele turbilhão de ações de marketing, promoções e propagandas, nem ânimo, de certa forma, de um público intimidado tanto pela pandemia e a realidade que impôs, quanto pela situação financeira que impactou tanto a realidade das famílias brasileiras. Para 62% das pessoas, por exemplo, o Dia das Crianças será comemorado, mas não necessariamente com presentes.

Natural, se avaliarmos o quadro no qual estamos. Este que exige um olhar especial tanto sobre a forma de comunicar marcas e “celebrar” o momento, quanto no lido com o posicionamento de preços do que está sendo oferecido a um público acanhado e amedrontado, de certa forma.

Pesquisas apontam que a maioria dos itens comprados serão brinquedos, com 77% das intenções de compra. Muito acima dos jogos, com 35% das intenções, roupas e acessórios, com 29%, e eletrônicos, com 25%, o que mostra uma atenção dos adultos quanto a necessidade de entreter as crianças com o que mais gostam em tempos nos quais estão “confinados e isolados”. Como as pessoas não estão podendo sair para comemorar de outras formas, o brinquedo se torna ainda mais importante, porque a diversão vai ter que ser em casa.

Mesmo com este quadro, a data ainda representa mais de 30% das vendas de brinquedos no ano, e por isso, os empreendedores do segmento já se preparam para o dia 12 de outubro com a contratação de temporários, aquisição de novos produtos e eventos digitais para mobilizar o público. Nas lojas, todo o preparo responsável quanto aos protocolos de saúde para lidar com a procura do público aos pontos físicos de contato. Porém este ano as marcas apostam nas ações on-line, com torneios digitais premiados e interação das marcas com os seus públicos alvo de forma remota, como estratégia de dar um “jeitinho” na distância e manter viva a relação de consumo.

Soluções Omnichannel ganharam espaço nesses tempos. O “casamento” de estratégias multicanais que criem acesso e presença da marca nos mais variados ambientes do cliente se fizeram vitais em ano de pandemia. Então quem não tinha o hábito usar este caminho, precisou aprender e multiplicar sua presença para permanecer viva a sua marca, sem contar com as estratégias de marketing e promoção, com oferecimentos que facilitem o acesso propriamente dito e “bolso” suficiente para viabilizar os desejos de consumo, ou mesmo soluções que permitam momentos melhores às crianças.

Rede de apoio às marcas é o que não falta. Da mídia OOH às digitais, estão todas disponíveis e no mesmo barco, no intuito de criarem viabilidade e ambiente amigo neste ano desafiador.

Um desejo? Que em 2021 possamos celebrar o Dia das Crianças como eles merecem, como a gente merece. Soltos por aí, livres… e brincando, o que é bom para todo mundo. Até lá, daremos o nosso “jeitinho” 🙂

Juliana Silveira

Author Juliana Silveira

More posts by Juliana Silveira

Leave a Reply