Black Friday”, “Best Friday”, não importa o nome, ou importa, levando em consideração os objetivos e estratégias de marketing de cada marca, mas o fato é que estamos chegando no dia “D” do ano, que nos propicia acessar a produtos e serviços com preços promocionais muito abaixo das tabelas operadas normalmente pelo mercado, além de ser uma das datas mais esperadas pelo varejo.

59% de usuários de redes sociais comprarão nesta Black Friday “pandêmica”.

Estudo da MField Test indica, ainda, que metade dos entrevistados com saúde financeira comprometida também pretendem comprar na data. A sensação de oportunidade de ganho exacerba a crise na qual a maior parte da população se encontra. A pesquisa também diz que 85% farão as compras pela internet. Essa magnitude também é uma novidade, pois nosso habito de consumo online se consolidou mais neste ano, quando pontos de venda se apresentaram de portas fechadas ou “entreabertas” por conta da crise de saúde do Covid-19.

A categoria de produtos que lidera a intenção de compras na Black Friday deste ano é roupas e calçados, com 37%. Logo em seguida aparecem os dispositivos eletrônicos, com 30%, eletrodomésticos, 18%, e cosméticos, 15%.

O fato é que, para as marcas que desejam aumentar seu faturamento nesta “Black Friday”, é importante que se conheça o que os seus clientes desejam, pretendem, esboçam nas redes sociais quanto ao comportamento que planejam para essas 24 horas de consumo tão esperados, e promovam ações que os impulsionem neste caminho, ou melhor dizendo, na direção da sua prateleira de oferecimentos.

98% dos entrevistados dizem preferir as ofertas que chegam a eles pela internet, e 2% que chegam pela TV, o que é um sinal da explosão do mercado online e do ganho de confiança do mesmo. 57% dos consumidores disseram preferir ser impactados de forma indireta nas redes sociais ou diretamente pelo site com o qual está interagindo, enquanto 29% preferem a comunicação via e-mail, SMS ou anúncios pagos, 14% não querem ser impactados com ofertas de jeito nenhum. Coisas que deveríamos saber para nos orientarmos no caminho da “conquista” e “sedução” de novos clientes e usuários.

A pesquisa que traz esta realidade está na íntegra na “Meio & Mensagem”, a quem possa interessar… Mas para se preparar e antecipar-se para que seus clientes saiam satisfeitos, e sua loja com lucros.

Levantamos para você cinco dicas de como vender mais na Black Friday!

  1. Entenda seu público virtual: A análise de dados é muito importante na hora de compreender seu cliente digital;
  2. Prepare seu perfil nas redes sociais: Alinhe sua identidade visual em todas as plataformas que trabalha;
  3. Faça bons anúncios e promoções: Trabalhe com chamadas que comuniquem informações importantes, mas tenha a linguagem do seu público;
  4. Ofereça um ótimo atendimento: Aproveite os chats incluídos dentro das redes sociais para dar mais um canal de suporte a seu público;
  5. Use ferramentas para redes sociais: Automatização de tarefas, como agendamento de postagens, mensagens automáticas e, para o Instagram, até visualização de stories automatizada são algumas maneiras de administrar de forma mais dinâmica as redes sociais. Dessa forma fica bem fácil vender online e ter mais tempo para cuidar da sua loja em plena Black Friday.

Fora isso, comunique-se institucionalmente e comercialmente sempre. Afinal, quem não é visto não é lembrado e também não constitui marca forte e de credibilidade. Está aí a mídia exterior para fazer este trabalho de retaguarda e base forte a quem comprará este ano apenas apertando um botão, mas que segue demandando “toque” e que no fundo ainda busca “ver para crer”…

Fica a dica 🙂

Juliana Silveira é co-founder da Dtail Gestão de Conteúdo e criadora do blog New Families, onde escreve semanalmente com um olhar de sensibilidade única sobre o recomeço da família após o divórcio

Juliana Silveira

Author Juliana Silveira

More posts by Juliana Silveira

Leave a Reply