Acredito que ganham relevância aqueles momentos que nos exigem reinvenção. Que demandam que nasça na gente a capacidade e a criatividade de sair de uma situação para a qual não fomos preparados, treinados, ou mesmo pela razão simplória desta não parecer possível em outros tempos, sequer de imaginar. Aí, o fato realmente chama a nossa atenção. Mexe com o nosso estômago, as nossas emoções e a ansiedade da falta de amparo para encaminhar ação e fazer o que tem que ser feito.

Dito isso, vamos ao Natal mais importante das nossas vidas? Este que não pode juntar a família, que pegou grande parte das pessoas em situação de insuficiência financeira e que distanciou da gente a figura esperançosa e abençoada do “Papai Noel”?

Por isso a data se faz tão importante para pessoas, marcas, pessoas atrás das marcas, marcas feitas de pessoas…

Nunca a sociedade precisou tanto do Papai Noel, da fé a que ele remete, da paz, da segurança, do abraço e dos presentes, para se fazer presente. Nunca foi tão desafiador para os que estão com a demanda de tornar este toque possível, utilizando a tecnologia da informação, a presença digital e, de alguma forma, a física, no uso das mídias OOH (Out of Home) e da ambientação possível nos pontos de venda físicos e remotos.

A visitação ao “bom velhinho” em alguns shoppings, ponto alto da época para as crianças, será por meio de telas este ano. No Shopping Iguatemi de Porto Alegre, por exemplo, ele fará seus atendimentos por chamada de vídeo via WhatsApp.  O bate-papo com o Noel deve ser agendado por um número disponibilizado no site e nas redes sociais do shopping, e há ainda a opção de pedir para que o Papai Noel grave um cartão em formato de vídeo para um amigo ou familiar. Há shoppings que criaram telões para os encontros digitais das famílias com ele e ambientações interativas para que a data não perca o seu encantamento original.

As áreas de comunicação e estratégia estão dando seu jeito. E a nós, atentos, vemos um novo Natal acontecer…

Afinal, o bom velhinho faz parte do grupo de risco, e crianças são vetores do Covid-19. E talvez por isso a agencia da marca de chocolates LACTA, David São Paulo, colocou o Coelhinho da Pascoa para ajudar o Papai Noel a entregar os presentes, o que mostra o tanto de criatividade que temos na gente e como este Natal pode ser disruptivo e especial. O mais importante talvez…

Para mim, confesso,  já é 🙂

Juliana Silveira é co-founder da Dtail Gestão de Conteúdo e criadora do blog New Families, onde escreve semanalmente com um olhar de sensibilidade única sobre o recomeço da família após o divórcio

Juliana Silveira

Author Juliana Silveira

More posts by Juliana Silveira

Leave a Reply